E se o Filho não Quiser a Guarda Compartilhada?

Compartilhe

Independentemente do tipo de guarda, o pai ou a mãe, que não esteja residindo com o filho, tem o direito de convivência com este, pois a convivência saudável com ambos os genitores é importante para o bom desenvolvimento do menor.

Se o filho se recusa a visitar uma das partes, não é possível obrigá-lo. Nesta hipótese, os genitores devem conversar com o filho para compreender as razões dessa recusa e incentivar positivamente a convivência com a outra parte. Caso a recusa seja em razão de indícios de maus tratos ou qualquer outra razão que cause sofrimento ao menor, deve ser ajuizada medida judicial buscando a suspensão das visitas até a realização de estudo psicossocial e consequente regularização da forma de convivência.

Leia Também

AnyConv.com__Logo-Centro-Branco

Localização

Rua Enxovia, 472, Conjuntos 1409/1412
Chácara Santo Antonio – São Paulo

Contatos

5186-9599 / 5186-9591 contato@aoladvogados.com.br